A sustentabilidade econômica das organizações do terceiro setor está diretamente relacionada à capacidade de conquistar, manter e diversificar as fontes de financiamento. Além disso, com o objetivo de mobilizar recursos, as organizações sem fins lucrativos têm desenvolvido várias atividades e estratégias, como visitar empresas, criar tabelas de manutenção pessoal, autorizar marcas, criar fundos de ações, utilizar diferentes editais (públicos e privados), vender produtos e prestar serviços.

Qualquer associação ou fundação que mobilize recursos de forma planejada e contínua tem colocado sua agenda planejada em pauta, ou seja, necessita de uma fonte diversificada de recursos para reduzir o risco de sua sustentabilidade econômica.

Outro fator relacionado à mobilização de recursos é a legitimidade social da organização que ela mobiliza. As associações ou fundações que arrecadam recursos da sociedade precisam devolver efetivamente os recursos arrecadados na forma de serviços de que todos precisam. O reconhecimento desse “retorno” pode ser medido pelos resultados alcançados, pela aquisição de novos financiadores e pelo compromisso de doadores e patrocinadores fiéis de longo prazo.

A arrecadação de fundos por meio de herança, além de uma estratégia pouco utilizada no Brasil, é, sem dúvida, uma escolha ímpar para organizações que se relacionam com doadores e financiadores. Afinal, ninguém está mais comprometido com uma organização ou causa social do que quem dirige o patrimônio pessoal, e essas pessoas vão constituir seu próprio legado para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária e sustentável.

Legado, o que é isso?

Um patrimônio é algo deixado para alguém em um testamento ou outro ato de disposição de um testamento reconhecido por lei. Ou, simplesmente, uma herança é o benefício ou valor que alguém deixa para os outros ao dispor do último testamento; o mais comum é o testamento.

O patrimônio pode ter como objetivos móveis e imóveis, tangíveis e intangíveis, substituíveis e insubstituíveis, atuais e futuros, direitos, ações, reputação, benefícios negativos ou positivos etc. Além disso, deve ser também um objeto legal, possível, economicamente valioso, definido ou determinável e de fácil venda.

Como prospectar um legado?

A forma mais comum e abrangente da última vontade é a vontade. Seus tipos mais comuns são: vontade pública, vontade fechada e vontade privada ou homóloga.

De acordo com o depoimento do testador, o notário será redigido em caderno pelo notário, e redigido na língua nativa, e deverão estar presentes duas testemunhas.
Apesar dos transtornos que possam causar em público, para que todos conheçam o seu conteúdo, é considerado mais seguro do que outras espécies testamentárias devido às suas formalidades. A despesa envolvida na preparação do livro pode ser considerada uma desvantagem dessa vontade.

O testamento fechado, secreto ou misterioso é o testamento redigido pelo próprio testador ou a pedido de alguém e por ele assinado; posteriormente, é completado por carta de aprovação ou avaliação lavrada por notário. O notário tem testemunhas e duas Selar e costurar documentos na presença de uma testemunha apropriada. A intervenção do notário visa conferir autenticidade e tal participação não elimina a vantagem do sigilo. No entanto, o inconveniente desta forma de testamento é que se o testamento puder ser apresentado ao tribunal enquanto o testamento estiver selado, o testamento será revogado, podendo também desaparecer por ação deliberada de alguns herdeiros. O custo de prepará-lo também pode ser visto como o ponto negativo dessa vontade.

O testamento privado ou holograma é um testamento assinado pelo testador ou escrito por processo mecânico. É assinado pelo testador e lido por três testemunhas. As três testemunhas também devem assinar e são obrigadas a confirmar a sua identidade após a morte do voluntário. A vantagem desse método de teste é o comparecimento desnecessário aos cartórios, o que torna os testadores mais simples, confortáveis ​​e econômicos.  

No entanto, este é considerado o método de teste menos seguro porque depende do depoimento de testemunhas no tribunal (possivelmente ausentes por morte ou ausência) após os direitos de herança serem abertos. Além disso, os herdeiros podem ocultar documentos.

Qual é o custo?

O valor do testamento é determinado por lei em todos os cartórios do estado.

No Estado de São Paulo, o valor atual é: testamento público sem direitos: R $ 68,03; conteúdo patrimonial: R $ 1.237,00; preço de fechamento: R $ 1.237,00; revogação de testamento: R $ 206,16.

Num testamento privado, os procedimentos relativos à capacidade do testador e da testemunha são os mesmos. Lembre-se de que, neste caso, existem apenas três testemunhas em vez de duas testemunhas e não é necessário notário, pelo que incorrem em honorários notariais.

Que custos e impostos a herança geraram?

1º Tabelião Público (na forma de testamento público ou do Cerrado) as despesas de redação do testamento serão custeadas pelo testador.

2º Os possíveis custos do legado, tais como: custódia, armazenamento, transporte, transferência de propriedade e riscos de entrega, caso o testador não possua outro método de disposição, recupere da conta legada.

Terceiro, em geral, o imposto estadual sobre a disseminação da causa de morte estadual-ITCMD deve ser pago. Lembre-se de que alguns casos são isentos ou isentos.

Na legislação do Estado de São Paulo, o Capítulo 2, Artigo 7º, prevê a isenção do ITCMD na disseminação de aves mortas incluindo relíquias. Artigo 6º da Lei nº 10.705, de 28 de dezembro de 2000, e alteração da Lei nº 10.992, de 21 de dezembro de 2001.